17 de Novembro de 2009

 

 BAILE

CASA DO POVO
DE
SAMORA CORREIA
 
DOMINGO
 
22 DE NOVEMBRO DE 2009
PELAS 15HORAS
 
ABRILHANTA:
 
LUIS PINTO
 
ORGANISTA/VOCALISTA

 

 

PUBLICADO POR samoraemmovimento às 22:55

 

 

 

O executivo camarário deliberou, por maioria, com as abstenções dos Vereadores: Ana Casquinha e José Rodrigues da Avó, aprovar a proposta de taxas do imposto municipal sobre imóveis (IMI) para 2010, e solicitar à Assembleia Municipal a fixação, para o ano de 2010, das taxas de 0,7% a aplicar aos prédios urbanos avaliados na vigência da Contribuição Autárquica e de 0,4% a aplicar aos prédios urbanos avaliados nos termos do CIMI, em cumprimento do estabelecido no artigo 112.º, número 4 do CIMI. 
 

A proposta é similar à do ano anterior e veio reduzir em 0,1% as taxas aplicadas em 2009, “sendo que o valor desta receita é essencial para a manutenção do equilíbrio financeiro da Câmara Municipal”, esclareceu o Presidente. 
 

Os vereadores: Ana Casquinha e José d’ Avó colocaram questões de ordem social para a não aplicação destas taxas e, na resposta o Presidente comentou que também gostaria de baixar a incidência destas taxas, e referiu que constitui compromisso da Câmara Municipal vir a alterar algumas taxas imediatamente após a aprovação da Área Crítica de Reabilitação Urbana (ACRU) e a constituição da Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU) e, necessariamente, criar incentivos com reflexos nas receitas Municipais. 
 

Considerou que a situação que o País atravessa não perspectiva a baixa de impostos que constitui receitas do Estado, parecendo-lhe até que as medidas que irão ser tomadas por decisão da União Europeia serão no sentido de se entrar no controlo dos défices verificados na sequência da crise económico-financeira.

Referiu que não sabe como se poderá manter o equilíbrio entre receitas correntes e despesas correntes se for reduzida esta taxa cuja receita, conforme demonstra a diferença de valores entre a liquidação e a cobrança, tende a diminuir porque algumas pessoas não a conseguem pagar, ou pagam apenas a primeira prestação. 
 

Disse que gostaria de construir um modelo que fosse sustentável e aliviasse os Munícipes, mas vê com muita preocupação que se possa tomar uma medida que pode pôr em causa serviços importantíssimos prestados à população por falta de receita. Comunicou que estará sempre disponível para acolher as boas propostas desde que fique demonstrada a sustentabilidade e, neste caso, não tem dados que permitam tirar essa conclusão. Entende que esta receita é, talvez, a menos aleatória de todos os impostos directos, comparativamente ao Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT) e derrama.

,  
 

O Presidente comentou ainda que as questões sociais não são se resolvem com a descida da taxa do IMI. Em Portugal, as que devem a todos causar maiores problemas e desconforto são as resultantes da crise económica e da consequente perda de emprego, dado que esse constitui o verdadeiro drama para o qual o País tem de encontrar soluções. No restante, quando afirmou que o Governo não pode baixar os impostos é porque não existem condições para que tal aconteça, ainda que gostasse de o fazer no IRS sobre as famílias, no lucro tributável das empresas – IRC, ou até mesmo no IVA, que constituem situações com grande impacto nas famílias.

Considerou importante que não se fique com a ideia de que o bem estar social das famílias depende da descida de 0,1% da taxa de IMI e ainda que o Município tenha perdido algum emprego, não foi dos mais atingidos por esta problemática, esperando que assim continue. 
 

 

Comentário em: 07/12/2009  Apresentado: Augusto

O que a Câmara devia resolver era a redução da despesa corrente, sobretudo com pessoal já que pelo que se vê quantos mais são menos fazem.

 

PUBLICADO POR samoraemmovimento às 22:43

 

 

                               NAS FESTAS DE SAMORA    

 

    Jose Antonio Antunes, o popular ZE DA CUECA, faleceu ontem, depois de estar a lutar pela vida, durante alguns dias. Desta vez não resistiu. ZE DA CUECA era natural de Vila Franca de Xira, mas há muitos anos vivia no Porto Alto, onde montou a sua actividade profissional.

   ZE DA CUECA sempre bem disposto e pronto para o convivio com os amigos, tinha nos cavalos a sua paixão. Todos os anos participava com a sua charrete, ou a cavalo nas Festas da Região,

  O funeral realizou se hoje, para o cemiterio de Samora Correia e teve imensos amigos a acompanhá lo.

 

 

                   NAS FESTAS DO PORTO ALTO

PUBLICADO POR samoraemmovimento às 22:33

 

 

O Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria informou a Câmara Municipal de Benavente  que “na sequência da reorganização que estamos a desenvolver nas Unidades de Saúde necessitamos da colaboração dos cidadãos dos Concelhos de Benavente e Salvaterra de Magos no acesso ao SAP de Benavente”. 
 

Em anexo enviam informação que pretendem chegue ao maior número possível de utentes dos serviços de saúde, para que, em conjunto, se melhor os cuidados prestados naquele Serviço de Atendimento Permanente: 
 

INFORMAÇÃO AOS CIDADÃOS DOS CONCELHOS DE BENAVENTE E SALVATERRA DE MAGOS:

O Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria II está a reorganizar as Unidades de Saúde de forma a cumprir a sua missão de prestar cuidados de saúde de qualidade e em continuidade sempre que possível num modelo com médico de família. 
 

Enquanto não  é possível ter recursos humanos, nomeadamente médicos, que garantam aquela continuidade, a prestação de cuidados aos utentes sem médico será garantida através de consultas de recurso nas Unidades de Saúde em que os utentes estão inscritos e secundariamente através de recurso ao Serviço de Atendimento Permanente (SAP) em Benavente. 
 

Deve ser evitado o recurso ao SAP de Benavente, excepto em situações muito urgentes e emergentes, de modo a que neste serviço possam ser atendidas as pessoas que realmente necessitam, com qualidade e em segurança, evitando-se grandes períodos de espera. 
 

O Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria II aconselha todos os utentes da Unidade de Saúde Familiar de Samora Correia e dos Centros de Saúde de Salvaterra de Magos e Benavente, a recorrerem ao seu médico de família, em primeiro lugar, em caso de doença aguda ou qualquer outra situação. 
 

No caso de não terem médico de família atribuído, devem dirigir-se aos respectivos locais de atendimento, onde poderá haver médicos com horário disponível para o efeito” 
 

Sobre esta matéria o Presidente considerou que, no fundamental, a presente informação deve merecer a melhor atenção e a resposta necessária da Câmara Municipal. O Agrupamento de Centros de Saúde vem reconhecer que não tem médicos e que as empresas que contratou para a prestação de cuidados de saúde no SAP (Serviço de Atendimento Permanente) não funcionam. A mesma informação apela, ainda, aos utentes para recorrerem ao seu médico de família em primeiro lugar (não se deslocando ao SAP), e caso não tenham medico de família, devem deslocar-se aos diferentes locais de atendimento onde poderá haver médicos com horário disponível para o efeito. 
 

O Presidente entende que o Agrupamento de Centros de Saúde existe para coordenar os respectivos serviços e para responder aos utentes, numa relação de proximidade. Não pode servir para fazer passar a ideia de que a situação é um mal inevitável e que o Serviço de Atendimento terá de funcional com este modelo porque não há soluções. O Serviço deve ter resposta urgente com a colocação de médicos ou contratação de equipas que possam prestar o serviço, visto que pretendem libertar os médicos de família para acompanhamento mais próximo dos seus utentes, retirando-os dos Serviços de Atendimento Permanente. 
 

A Câmara Municipal deve considerar inaceitável a informação que está a ser prestada aos cidadãos, porquanto mistifica o essencial do problema existente – a falta de médicos no Município, agravado pela falta de equipas médicas que prestem o Serviço de Atendimento Permanente que está, devidamente, contratualizado com a população e com o Município, que ainda resolvia muitas situações”. 
 

Acrescentou que é  do conhecimento público que o Serviço de Atendimento Permanente está, actualmente, a ser efectuado durante o dia por equipas de médicos contratados com a ARS e a partir das vinte horas e aos fins-de-semana por médicos contratados pela Santa Casa da Misericórdia. Comentou ser frequente que os utentes não atendidos durante o dia, por vezes em número considerável, ficam para os médicos contratualizados pela Santa Casa da Misericórdia, sendo esta uma situação com a qual se têm debatido os respectivos médicos.

Considerando a gravidade da situação e, porque não têm sido atendidas as reuniões solicitadas à Directora Executiva dos Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria, entende que devem ser tomadas medidas urgentes no respeito pelos compromissos assumidos pela Secretária de Estado da Saúde e pelo Senhor Presidente da ARS, justificando-se o pedido de marcação urgente de uma reunião com o Senhor Presidente da ARS para discutir o problema do funcionamento do Serviço de Atendimento Permanente/falta de médicos de família, dada a grave situação que está ser vivida pelas populações do Município. 
 

O vereador Carlos Coutinho comentou que ainda na sexta-feira passada, recebeu um telefonema de um munícipe dos Foros da Charneca que manifestou a sua indignação pelo atraso de dois a três meses de atraso na marcação das consultas para o médico de família no Posto Médico daquela localidade, referindo ter aconselhado o munícipe a apresentar a reclamação por escrito. 
 

O vereador José d’Avó referiu que se tem assistido a uma degradação do serviço de saúde que tem vindo a ser prestado no Município, no que se reporta à disponibilidade de médicos nos Centros de Saúde face ao aumento populacional verificado nos últimos anos.

Considerou ser preocupante a actual situação e concorda que a Câmara Municipal, a bem da população, deve ser a primeira a reivindicar e a exigir que seja colmatada a falta de médicos de família, bem como a reposição de alguns serviços de saúde retirados em alguns locais, citando como exemplo a freguesia da Barrosa. 
 

A vereadora Ana Casquinha considerou que o pedido de audiência ao Presidente da ARS deverá considerar um dossier completo de todas as falhas e necessidades que o Município observa na sua globalidade. Existem situações graves em Benavente e em Samora Correia, onde cinco a seis mil utentes não têm medico de família e alguns nunca tiveram, para além da situação já mencionada da freguesia da Barrosa, também na freguesia de Santo Estêvão o serviço não funciona bem.

O Presidente salientou, ainda, que existe no Porto Alto uma Extensão de Saúde, onde foram promovidas obras pela Câmara Municipal de acordo com orientações da ARS, e que está praticamente sem funcionar por motivos que se prendem com a base da construção da Unidade de Saúde Familiar de Samora Correia, desrespeitando o compromisso assumido com a população de que não seria extinta aquela Extensão de Serviços que funcionaria integrada na já citada Unidade de Saúde. 
 

Considerou que não  é naquele sentido que os serviços devem caminhar para a sua aproximação aos cidadãos, dado que se está a falar de cuidados de saúde primários e não de cuidados de saúde diferenciados, onde todos percebem que não pode haver um hospital em todas as localidades.

Referiu não estar perceptível a actual gestão nesta matéria, fazendo a comparação do número de utentes sem médicos de família nos Municípios de Coruche e Benavente, considerando o crescimento demográfico observado por cada um e questionando as razões de não se terem aberto os quadros necessários para responder às necessidades, que afectam também outros Municípios como o Almeirim e de Alpiarça.

Concluiu, dizendo ser necessário que a Câmara Municipal tome uma posição clara sobre a matéria e estar atentos ao descontentamento da população para, se assim se justificar, vir a realizar uma reunião pública para que se entenda que a Câmara Municipal está a representar a população nos seus direitos e interesses. 
 

O executivo deliberou, por unanimidade solicitar ao Presidente da ARS a marcação urgente de uma reunião para discutir o problema do funcionamento do Serviço de Atendimento Permanente/Falta de médicos de família no Município. 
 

 

PUBLICADO POR samoraemmovimento às 18:15

  

 

                                                      BANDA DA SFUS

   Decorreu no domingo á tarde no Centro Cultural de Samora Correia, o 45º Encontro de Bandas, organizado pela SOCIEDADE FILARMONICA UNIÃO SAMORENSE. Três bandas estiveram presentes a de Aljustrel, Seixal e a da SFUS. Anunciada também, mas não pode estar presente a Banda da Incrivel Almadense .Boa assistencia, com a sala praticamente cheia, numa tarde invernosa, convidativa para este genero de espectaculos.No final o jantar foi na sede da colectividade,com um convivio entre todos os musicos e um porco no espeto para comer.

 

      BANDA DO SEIXAL

PUBLICADO POR samoraemmovimento às 13:27

QUEM SOMOS

VER PERFIL

SEGUIR PERFIL

3 seguidores
PESQUISAR
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13

20
21

25



ARQUIVOS
2019:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2018:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2017:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2016:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO