20 de Dezembro de 2010

 

 

NOTICIA MIRANTEONLINE

 

 

Duas pedras que revestiam a fachada principal do novo Centro Escolar de Samora Correia,  desprenderam-se. Há dois meses, altura em que se registou o incidente, que a entrada de alunos, professores e funcionários está a fazer-se por um local alternativo.

 

O presidente da Câmara Municipal de Benavente, António José Ganhão (CDU), garantiu a O MIRANTE que para evitar danos em pessoas e bens foram tomadas logo na altura as necessárias medidas de segurança. “Isolámos toda a zona guarnecida com pedras dos centros escolares que poderiam estar sujeitas ao mesmo tipo de problema: má colagem das pedras no edifício”, esclarece. As mesmas medidas foram adoptadas no novo Centro Escolar de Benavente, construído pela mesma empresa. Os espaços de recreio e logradouro só estão a ser utilizados nos sítios que não coincidem com o revestimento a pedra.

 

O empreiteiro foi chamado na altura ao local, bem como técnicos do Instituto Superior de Qualidade e do Laboratório Nacional de Engenheira Civil que realizaram averiguações e que irão produzir um relatório com propostas de soluções que o empreiteiro terá que realizar. A questão foi levantada na última Assembleia Municipal de Benavente, realizada sexta-feira, 17 de Dezembro, pela eleita do PSD, Dora Morgado, que quis saber por que razão as pedras não foram ainda repostas.

 

Os novos centros escolares de Benavente e Samora Correia foram concluídos mais cedo do que estava previsto, por menos dinheiro e o valor dos equipamentos - comparticipados por fundos comunitários - foi integralmente adiantado pela Câmara Municipal de Benavente.

 

Em cada um dos centros escolares - inaugurados em Setembro de 2009, com a presença do Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Rui Baleiras - a autarquia poupou cerca de 500 mil euros. O presidente da Câmara Municipal de Benavente explicou na altura que o orçamento que estava associado aos projectos levou o executivo a considerar que era possível reduzir custos. “O que sacrificámos foi algum luxo no revestimento exterior. Não retiramos nada do interior, necessário para a qualidade de professores e alunos”, garantiu então. Os dois equipamentos ficaram concluídos a tempo de acolher a comunidade escolar no início do ano lectivo.

 

O Centro Escolar de Benavente envolveu um investimento global de 1.583.694,59 euros com comparticipação do Feder de 1.041.287,83. Possui três salas de jardim-de-infância, oito do primeiro ciclo do ensino básico, salas polivalentes para prolongamento de horários, centro de recursos, cozinha, refeitório, sala de convívio para professores, gabinetes, salas de trabalho e arrumos. Tem parque infantil e mini-campo desportivo.

 

O Centro Escolar de Samora Correia custou 1.734.986,93 euros e teve uma comparticipação de 1.147.724,55 euros. O espaço tem três salas de jardim-de-infância, doze salas para o primeiro ciclo do ensino básico e os restantes espaços comuns ao centro escolar de Benavente. Os dois espaços funcionam com lotação completa.

PUBLICADO POR samoraemmovimento às 22:48

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


QUEM SOMOS

VER PERFIL

SEGUIR PERFIL

3 seguidores
PESQUISAR
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

14
16
18

21
23
24

26
28
29
30


ARQUIVOS
2019:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2018:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2017:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2016:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO